img
logo

22 + 23 NOVEMBRO

AVenida da LIBERDADE LISBOA

1 festival, 2 dias, MAIS DE 10 SALAS E MAIS DE 50 ARTISTAS!

Image
20:00

  -​  

20:50

   +​  

Sala Buondi (Palácio da Independência)
Marissa Nadler
23

Criada numa pequena cidade em Massachusetts, Marissa Nadler começou por se apaixonar pela pintura. A música chegaria um pouco mais tarde, mas ainda a tempo de disputar o coração de Marissa. Começou a escrever as primeiras canções e lançou-se ao desafio do estúdio, com a edição do primeiro disco em 2004: “Ballads of Living and Dying”. O segundo disco, “The Saga of Mayflower May”, foi editado logo um ano depois. Eram registos despidos de produção, num registo acústico e reduzidos ao essencial. A cada registo, Marissa parecia acrescentar mais um pouco à sua arte e em “Songs III: Bird on the Water”, o seu terceiro disco, já podemos ouvir alguns outros elementos, como sintetizadores, harpa e uma serie de novos instrumentos. O som de Marissa Nadler cresceu definitivamente em “Little Hells”, um disco editado em 2009 e com mais rock do que nos discos anteriores. Quando se fala em crescimento, no caso de Marissa, não se está a falar de aparato desnecessário, mas da utilização de certos recursos que estão sempre ao serviço daquilo que é mais importante: as canções. A cantautora norte-americana manteve o foco e continuou a editar discos nos anos seguintes: “Marissa Nadler” (2011), “July” (2014), “Strangers” (2016) e “For My Crimes” (2018) serviram para consolidar Marissa como uma das artistas mais interessantes da cena indie norte-americana, dona de uma linguagem própria, onde há folk, dream pop e uma séries de outras influências. Este último trabalho, “For My Crimes”, medita sobre a dificuldade de levar uma relação a bom porto, mesmo quando o amor está lá. A voz e a escrita de Marissa estão no ponto e os portugueses têm a sorte de poder vê-la ao vivo, já no próximo Super Bock em Stock.

Música

  Autêntica

NAMING SPONSOR

PATROCÍNIOS

MEDIA PARTNERS

PARCEIROS

PROMOTOR